/

lyrics

"nó", poema de Ana Cristina César:

E sobre tudo atento repousa
meu intento esqueleto mudo
Do túmulo quem ousa erguer-se
Do píncaro estrebucha: FETO

E em nada ausente levanta
minha mente caverna armada
Da ânfora quem vai virar-se
Do cúmulo despenca: ERMO"

credits

from Resquícios Cromáticos, released December 4, 2020
Gravado e produzido por O Nó, no quarto do Matheus. Letra poema de Ana Cristina César ("nó, 1968"), gentilmente concedido por Flávio LEnz. Mixado e masterizado por Otávio Bonazzi, com produção de vocais por André Ribeiro.

license

all rights reserved

tags

about

O Nó São Paulo, Brazil

são paulo / sp

contact / help

Contact O Nó

Streaming and
Download help

Report this track or account

If you like O Nó, you may also like: